Apresentação

O solo sob ameaça: conexões necessárias ao manejo e conservação do solo e água!

banner

Em 2015 comemorou-se o Ano Internacional dos Solos, decretado pela ONU e celebrado no mundo todo como uma forma de mobilizar a sociedade para a importância dos solos como parte fundamental do meio ambiente e para os perigos que envolvem a sua exploração e degradação em todo o mundo. Isso foi feito com o apoio das sociedades científicas do mundo todo que, através da produção massiva de textos técnicos e materiais de divulgação veiculados pela mídia, de ações sociais, promoção de eventos técnicos e políticos, efetivamente colocaram o uso do solo e sua conservação na pauta de discussão da sociedade mundial.

No Brasil, com o apoio da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo - SBCS e diversas instituições de pesquisa, ensino e extensão que atuam no tema, e considerando-se que a atividade agropecuária responde por boa parte do PIB nacional e por grande parte da geração de empregos e tem o solo como componente básico da produção, a discussão levantou problemas e apontou caminhos para soluções.

Os impactos negativos da ação humana sobre o solo e a água intensificam-se no país, ainda que a ciência brasileira tenha avançando em conhecimento e na apresentação de soluções técnicas para a mitigação do problema. A Ciência do Solo brasileira historicamente tem produzido conhecimentos capazes de gerar tecnologias que apontam para as melhores formas de manejo do solo, garantindo o aumento de produção aliado à conservação das terras agrícolas. Nos últimos anos, grandes avanços foram alcançados pelas instituições de ensino, pesquisa e extensão, que foram capazes de gerar e difundir produtos e soluções que podem dar suporte aos produtores e a sociedade em geral para a utilização adequada, recuperação e preservação do solo, da água e da biodiversidade. No entanto, a conservação do solo e da agua na agropecuária brasileira permanece como um grande desafio frente a degradação presente.

Mas então, onde está o caminho para a solução?

O caminho vem da constatação de que o problema vai além da Ciência do Solo. A solução para a conservação do solo e da água requer o estabelecimento de uma rede de conexões entre atores e componentes de diferentes origens, formas e funções, atores e componentes estes que estão muitas vezes fora do âmbito da ciência, mas cuja conexão é fundamental para que toda a complexa rede que envolve o manejo e conservação do solo e da água funcione e o processo efetivamente aconteça. Passam por esta rede da ciência, tecnologia e inovação, conexões entre atores sociais, econômicos e políticos que necessitam de mudanças profundas em sua forma de agir e interagir. É preciso mais investimentos na pesquisa científica, no ensino técnico e superior e na educação básica das novas gerações; é preciso divulgar conhecimento, garantir seu aprendizado para que o processo da inovação aconteça. É preciso estimular as boas práticas de uso e conservação do solo e demais recursos naturais; garantir a segurança alimentar através de políticas públicas voltadas para os produtores e para a sociedade brasileira; aplicar com imparcialidade a legislação ambiental brasileira, tida como uma das mais completas do mundo. Sem a conexão destes e outros atores com a rede complexa da ciência, o eficiente manejo e o efetivo processo da conservação do solo e água pode não acontecer.

A Reunião Brasileira de Manejo e Conservação do Solo e da Água - RBMCSA é um evento técnico científico e de inovação tecnológica, promovido pela SBCS em parceria com os núcleos regionais e instituições parceiras, que tem por objetivo promover sistemas sustentáveis de uso dos recursos solo e água para todos os biomas brasileiros. Em 2016, a XX RBMCSA será organizada pelo IAPAR em parceria com o Núcleo Estadual Paraná-NEPAR da SBCS e terá como tema central "O solo sob ameaça: conexões necessárias ao manejo e conservação do solo e da água!", e se propõe a discuti-lo numa programação que mescla a apresentação de novos conhecimentos científicos com temas de cunho educacional, de difusão de tecnologia e até mesmo aspectos legais que envolvem a conservação do solo. São convidados à contribuir, professores e pesquisadores da mais alta qualificação e experiência, além de empresas e representantes da administração pública que tem ação interfacial com o tema. Serão quatro dias de intensos debates, onde serão realizadas quatro palestras em sessão plenária única e quatorze painéis de discussão técnica com duas ou três contribuições técnicas em cada, o que irá proporcionar aos congressistas a discussão e a apropriação de extenso conteúdo técnico.

Além das palestras e painéis, serão apresentados trabalhos científicos na forma oral ou de pôsteres, com resultados de pesquisa atuais e inovadores de todas as sub-comissões científicas ligadas ao manejo e conservação do solo. Esta prevista também a realização de minicursos e excursões técnicas a campo.

Espera-se um público de 600 participantes entre professores, pesquisadores e extensionistas, profissionais da iniciativa privada, estudantes de graduação, pós-graduação e agricultores, e a apresentação de 300 trabalhos científicos.

O local escolhido para realização do evento foi a cidade de foz do Iguaçú, que tem profunda ligação com o tema. Foz do Iguaçu situa-se na convergência de duas das maiores bacias hidrográficas do Brasil, a do Rio Paraná e a do Rio Iguaçu, que são precursoras da formação da Bacia do Prata, uma das mais importantes da américa do sul. Além disso, Foz do Iguaçu se situa em uma região de solos dos mais férteis do Brasil, que abrigam uma agricultura extremamente moderna e produtiva, onde se desenvolve projetos conservacionistas de grande impacto regional e com reconhecimento mundial. Estes projetos são exemplo de que o esforço em estabelecer conexões entre diferentes atores pode efetivamente se traduzir em manejo e efetiva conservação do solo e da água, com base em princípios científicos.

Portanto, este será um evento de grande impacto científico e de inovação, oferecendo oportunidade para o público brasileiro, bem como de outros países da América Latina, de participar em um evento de alto nível com os maiores especialistas nos temas abordados.

VR Sys Agência Digital